DST

AIDS | DST | SINTOMAS E FASES CLÍNICAS – Continuação

A infecção pelo vírus HIV pode ser dividida em quatro fases clínicas:

1. Infecção aguda;

2.  Fase assintomática, também conhecida como latência clínica;

3.  Fase sintomática inicial ou precoce; e

4.  AIDS.

Para ler sobre os a fase 1 – Infecção aguda e seus sintomas, clique aqui.

Fase 2 – Fase assintomática

Também conhecida como latência clínica, essa fase pode durar de meses a anos. É um período que a pessoa normalmente permanece assintomática (sem sintomas). Alguns sintomas como, linfoadenopatia generalizada persistente, flutuante e indolor podem aparecer, mas passar despercebida. Nesta fase há uma forte interação entre as células de defesa do organismo e as constantes e rápidas mutações do vírus HIV, impedindo que o organismo fique comprometendo para permitir novas doenças.

Na Fase assintomática, mesmo sem apresentar sintomas, o indivíduo infectado, é capaz de transmitir o vírus para outras pessoas e caso faça o teste sorológico, será positivo.

Fase 3 – Infecção sintomática inicial

Com o ataque freqüente do vírus, as células de defesa começam a ser rompidas, deixando o organismo vulnerável a outras infecções. Nesta fase há uma queda brusca dos linfócitos T CD4 (glóbulos brancos do sistema imunológico), que podem ficar abaixo de 200 unidades por mm³ de sangue.

*Em adultos saudáveis, a quantidade de linfócitos T CD4 varia entre 800 a 1.200 unidades.

A partir disso, podem surgir sinais e sintomas inespecíficos e processos oportunistas de pouca gravidade, causados por vírus, fungos e bactérias, principalmente em pele e mucosas.

Os sintomas mais comuns são:

  • Febre diária até 38o C;
  • Diarréia;
  • Suores noturnos: se acompanhados de febre, deve-se investigar a presença de infecções oportunistas;
  • Emagrecimento: o mais comum dos sintomas, ocorrendo em media de 95-100% dos indivíduos com doença em progressão. Pode estar associado com anorexia.
  • Fadiga: constante mesmo em repouso, podendo ser mais intensa no final da tarde;
  • Trombocitopenia ou púrpura trombocitopênica imune: o indivíduo apresenta pequenos sangramentos como petéquias (pontos vermelhos no corpo), equimoses (infiltrados de sangue) e ocasionalmente epistaxes (sangramento nasal);
  • Aparecimento de gânglios nas axilas, virilhas e pescoço.

 

Sobre o autor | Website

O Bem Estar Web é mantido por profissionais com Mestrado, Pós Graduação e Graduação e especialização em Farmácia Bioquímica e Indústria, formados pela Universidade Federal do Paraná - UFPR

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.